Médico alerta para cinco rotinas de saúde que não devemos adiar

Devido à atual situação de pandemia, muitas pessoas, por receio de contágio, estão a adiar consultas, análises e tratamentos. Como tal, o médico assistente no Hospital CUF Cascais e na Clínica CUF S. Domingos Rana, Dr. José Ramos Osório, partilhou com o Lifestyle ao Minuto um artigo de opinião onde enumera cinco rotinas de saúde que não devemos adiar, de forma a evitar atempadamente situações de maior complexidade.


O seu médico assistente/médico de família, especialista em Medicina Geral e Familiar é aquele médico que o deve acompanhar ao longo da vida, a si e á sua família. Ele será capaz de enquadrar as suas queixas em determinado momento de uma consulta com o quadro clínico geral, com a sua história clínica pessoal e familiar.

Se falamos em rotinas, falamos em continuidade – é isso mesmo que nos traz saúde. Deverá estabelecer com o seu médico uma relação de continuidade, fazendo dele um “treinador da sua saúde e bem estar”. E como se costuma dizer: “para bons resultados não se devem faltar aos treinos”, também as consultas devem ter alguma periodicidade, pelo menos anuais em situação de saúde / rotina ou sempre e com a periodicidade que a sua patologia em particular vier a determinar.

Deveremos assim criar uma rotina de regulares visitas ao médico para que possamos evitar atempadamente situações de maior complexidade evitáveis e estejamos sempre alerta para novos problemas, bem como para manter a vigilância de patologias como diabetes, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, entre outras que quando não controladas são causas de morte ou invalidez muito importante.

Quando falo em rotinas não falo em pausas devido à pandemia. Existe vida para além do Covid. As Unidades de Saúde desde cedo se prepararam para criar ambientes seguros e altamente higienizados, por isso não deve adiar a sua visita habitual e de rotina ao seu médico assistente. Não deixe para amanhã o que deve fazer hoje. Não adie para o inverno as consultas, exames e análise que pode e deve fazer agora. O próximo inverno prevê-se desafiante – falasse num possível novo pico de contágio por Covid-19 e teremos a gripe sazonal, por isso a população deve planear a sua saúde, garantindo que esta continua a ser vigiada:

1 – Partilha da história clínica

Em cada consulta os vários tempos da mesma são de grande importância. A cuidadosa colheita da história clínica que é como quem diz o escutar das suas queixas no momento bem como sinais e sintomas que apresenta são um momento de grande partilha que abrem o caminho á procura de um diagnóstico correcto.

2 – Observação

Por exemplo, uma correcta auscultação cardíaca e pulmonar , a medição da tensão arterial ou temperatura, a palpação abdominal, são procedimentos que o seu médico de Medicina Geral e Familiar deverá ter em cada consulta e que muitas vezes veem a alertar para outros sintomas e patologias que não aquela que motivou a consulta.

3 – Exames

Em cada momento o seu médico solicitará os exames auxiliares de diagnóstico que o ajudarão a compreender melhor o seu problema e quando necessitar solicitar auxílio de outras especialidades. Deverá sempre partir dele a referenciação a outros colegas para um correcto tratamento.

4- Aprender

Na consulta de Medicina Geral e Familiar também há lugar ao ensino de estilos de vida saudável, alimentação adequada a cada caso como diabetes , alterações das gorduras no sangue, refluxo e outros problemas gástricos. Procura fomentar-se actividades físicas também elas adaptadas a cada caso e a cada idade.

5- Discutir novas queixas e novos comportamentos

O próprio teletrabalho trouxe outros problemas quer mentais quer físicos que devem ser discutidos com o seu médico. Melhor do que ninguém, que o seu médico assistente para compreender novas queixas e novos comportamentos da sua parte desde que se encontra em casa a trabalhar.


Like it? Share with your friends!